Selecionando uma Estratégia de Continuidade de Negócio

A análise de risco e a análise de impacto de negócio identificam riscos para funções chave de negócio. Também, as conseqüências e as probabilidades potenciais desses riscos bem como os custos para prevenir ou reduzir os danos e o tempo de recuperação são estabelecidos.

A avaliação de Estratégias de Continuidade de Negócios é baseada no conhecimento registrado no Plano de Continuidade de Negócio.

A seleção de estratégia envolve focar os riscos das áreas chave e selecionar uma estratégia para cada um. As metas primárias são para manter a continuidade de negócio em caso de rompimento ou desastre, recuperar negócios chave rapidamente e minimizar os danos.

Estratégias de Continuidade de Negócio

Muitas companhias associam recuperação de desastre e continuidade de negócio somente com Tecnologia da Informação e Telecomunicações e ignoram outras áreas críticas que podem ter sério impacto sobre seu negócio.

Outras áreas comuns para desenvolvimento de estratégia e seleção são instalações, energia, atendimento ao consumidor, faturamento, relações públicas e com o cliente, e, não podemos esquecer, de pessoal. Todas essas áreas exigem uma estratégia clara baseada em objetivos de tempo de recuperação, impacto orçamentário e sobre a rentabilidade.

A recuperação relacionada aos empregados é a parte mais omitida na elaboração da estratégia. Coisas simples, como entrar em contato com os empregados em casa ou pelo telefone celular e assegurar que todos possam ser notificados ou convocados em suas instalações geralmente são omitidas.

Comunicação é fator crítico

A comunicação é crítica para manter os empregados informados e comprometidos. As ferramentas mais poderosas para continuidade e recuperação são o conhecimento, a capacidade e a motivação dos empregados.

A estratégia de recuperação com a descrição clara dos procedimentos de implementação significa que não se terá que perder tempo pensando no que fazer. O enfoque é para cumprir o plano rápida e apropriadamente. As estratégias certas quando bem compridas minimizam consideravelmente a paralisação e minimizam danos.

Planejamento é fundamental

Quem já passou por uma crise séria, como um incêndio ou desabamento sabe muito bem que são tantas as coisas que devem ser providenciadas e verificadas que sem um plano detalhado fica muito fácil esquecer, trocar a ordem ou fazer errado algo e comprometer a recuperação.

Em alguns casos, a decisão estratégica pode ser não possuir uma estratégia formal. Neste cenário e outros onde existe risco significante para a viabilidade financeira da organização, a interrupção de negócios ou uma apólice de seguro de renda pode ser uma estratégia viável.

Geralmente, o seguro fornece à empresa a renda que ele está perdendo devido aos danos em sua propriedade. Então aumenta as chances da companhia sobreviver e a habilidade de manter seus clientes e recuperar-se de desastres.

Autor: Marco Aurélio de Lima (maurelio@malima.com.br, http://www.malima.com.br)