O que você precisa para tornar-se o profissional que o mercado busca

Como tornar-se o profissional que o mercado desejaSegundo a Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios (Pnad) Contínua, realizada pelo IBGE, a taxa de desemprego chega a 8% no segundo trimestre, compreendido entre fevereiro e abril. Neste trimestre o número de pessoas ativas aumentou 1,6% comparado ao mesmo período do ano anterior, porém deste total representado por aproximadamente 1,6 milhão de pessoas, apenas 0,7% conseguiram um emprego.

Diante de tais números e da instabilidade econômica que vive o país, o mercado tem se tornado cada vez mais competitivo e a seleção de profissionais cada vez mais exigente.

Veja alguns ingredientes fundamentais para você tornar-se o profissional que o mercado busca:

  • Propósito de vida no trabalho: qual é o seu proposito com o seu trabalho? Antes de buscar novas oportunidades é preciso questionar-se como é que você deseja que seja sua vida no trabalho. Questione-se a respeito do papel que deseja desempenhar dentro da empresa e na vida. Você deseja ser um gestor, um colaborador de longa data ou um CEO? Pretende ser alguém que deixa um legado por onde passa? Para isso é preciso desenvolver-se, conhecer-se, planejar-se e desenvolver suas habilidades profissionais e pessoais. É fortalecer-se internamente, pois o dia-a-dia consome e, muitas vezes, o faz sair do trilho e do seu maior objetivo.
  • Cultura: conteúdo, ler, saber, entender, compreender o contexto, re-significar. O profissional com boa formação cultural acessa um patamar elevado, tem condições de alcançar uma compreensão mais apurada e diferenciada das razões, motivos para determinadas situações, comportamentos, que podem ser determinantes na criação de estratégias.
  • Informação: um profissional bem informado destaca-se em qualquer setor do mercado de trabalho, pois as empresas têm carência de profissionais atualizados que contribuam com conhecimento que abra portas, dê alternativas e, muitas vezes, soluções. Lembre-se: informação é poder.
  • Relações interpessoais: um ponto de muita relevância para as empresas no momento da seleção é a capacidade do profissional estabelecer relações positivas com o grupo que está inserido. Trabalhar em equipe, gerar discussões construtivas e pró-atividade são características que acrescentam dentro de uma empresa, pois uma pessoa deselegante pode gerar desconforto no ambiente de trabalho e consequentemente comprometer o desempenho da equipe.
  • Valores da empresa: existe uma pergunta que é feita na grande maioria das seleções de vagas: por que você deseja a vaga e quer trabalhar nesta empresa? Pode parecer jargão, mas não é. É imprescindível para uma corporação ter um colaborador alinhado com os valores e visão da empresa. Imagine trabalhar em um local em que discorda das ações e decisões da organização a todo momento? Com certeza o trabalho não renderá e tanto o profissional quanto o empregador sairão prejudicados. Então antes de candidatar-se a qualquer vaga, conheça a atuação da empresa, a história, missão, visão e valores. Essa é uma das fortalezas de conexão da empresa com o profissional.
  • Visão: procure aculturar-se e saber o que está acontecendo no mundo, que está cada dia menor, em diversas áreas. Por mais que um profissional tenha tendência em enfatizar o conhecimento na sua área de atuação, entenda que fatores externos influenciam diretamente na empresa que trabalha e no seu papel dentro dela. Esteja atualizado sobre política, cultura, economia, lazer, cotidiano, etc. Um profissional diferenciado possui repertório para dominar assuntos específicos da área e também triviais para uma reunião de negócios com um cliente importante da empresa ou um fornecedor.

Em um momento de crise econômica como o Brasil enfrenta atualmente e o aumento do desemprego ser diferente da massa o torna relevante para empresa. Pense nisso!

Regina Nogueira é coach, consultora empresarial e fundadora da Regina Nogueira Coaching e Consultoria. www.reginanogueira.com.br