Segurança de sistemas é demanda dos setores de telecom e data center

slide03Os setores de data center e telecomunicações enfrentam muitos desafios em comum no cenário atual. Um dos principais é a demanda por serviços e aplicações 24 horas por dia, de qualquer lugar. Isso vale tanto para um usuário final, que quer assistir a vídeos no smartphone enquanto está a caminho do trabalho, quanto para empresas e usuários corporativos, que dependem deste acesso para garantir a produtividade de seus negócios.
Com o avanço da tecnologia e mobilidade, aparecem mais desafios e problemas para serem resolvidos. As operadoras e provedoras de serviços precisam entender e acompanhar o ritmo de seus clientes, cada vez mais exigentes. Os data centers precisam garantir disponibilidade a todo o tempo, acompanhando o ritmo desenfreado de informações, além de evitar a perda de dados em situações críticas. Por fim, a infraestrutura precisa ser capaz de suportar tudo isso.
Mas um dos grandes desafios dessas áreas – talvez subestimado – é a segurança de sistemas. De nada adianta oferecer um serviço inovador, tecnológico e acessível, se usuários e empresas correm o risco de terem seus equipamentos infectados com malwares.
Os consumidores e as corporações não sentem falta da segurança de sistemas até que um ataque aconteça. E a previsão é de que os ataques aumentem e fiquem mais sofisticados conforme o avanço da tecnologia. Atualmente, o McAfee Labs detecta 387 novos malwares por minuto.
Uma das prioridades dos setores de telecomunicações e data center deve ser que empresas e usuários “esqueçam” da segurança, mas no bom sentido. Ou seja, que confiem nas soluções que contrataram e que não precisem se preocupar com riscos e perda de dados. Um usuário não precisa saber se tem que atualizar um software embarcado, e sim aproveitar sua experiência de uso sem impactos, seja em casa ou na empresa.
Para que isso seja possível, é essencial que as soluções de segurança, principalmente corporativas, entendam a dinâmica das companhias. Elas não podem ser uma barreira ou dificuldade que a empresa precisa lidar, mas sim aliadas do negócio.
Felizmente, hoje já existem soluções mais flexíveis, capazes de se moldarem de acordo com a necessidade da empresa. A chave para isso é a integração, que permite que produtos se comuniquem para que as informações de diferentes camadas sejam analisadas e a melhor decisão possa ser tomada.
Sempre vai haver o desafio de identificar as áreas que trarão um retorno positivo, e ser mais seletivo em relação a isso é uma forma inteligente de lidar com o negócio. Do outro lado, a equipe de TI tem a dificuldade de justificar o retorno de investimento das ferramentas que utiliza, inclusive as de segurança de sistemas, e muitas vezes, as soluções são vistas apenas como um custo.
A saída, neste caso, é mostrar para a equipe de orçamento como tais ferramentas podem amenizar riscos, aumentar a produtividade e reduzir custos. Mesmo em um cenário de crise econômica, as áreas de data center e telecomunicações não podem deixar de investir em segurança. Enquanto deixar de fazer isso pode resultar em um incidente ou mesmo levar a empresa a falhar. Investir numa solução integrada pode aumentar a capacidade e maturidade dos negócios, consequentemente gerando um retorno sobre investimento positivo.
Marcos Ferreira é engenheiro de sistemas da Intel Security

ESA lança Satélite Sentinel-2 em nova fase do programa Copernicus

ESA lança Satélite Sentinel-2 em nova fase do programa CopernicusCom o programa de observação Copernicus, a Agência Espacial Europeia (ESA) estabeleceu um objetivo ambicioso: uma rede de satélites deve fornecer uma enorme quantidade de dados sobre a Terra. Combinados, os dados devem resultar num retrato abrangente das mudanças verificadas no planeta.

Nesta terça-feira, à 1h51min (GMT), começou oficialmente a segunda fase do Copernicus, com o lançamento do satélite Sentinel-2A na Guiana Francesa. No começo do ano que vem, será a vez do Sentinel-2B. Ambos trabalharão em conjunto ao redor da Terra.

Sentinel-2: imagens detalhadas
A cada cinco dias, os dois satélites cobrirão toda a superfície da Terra. E, a cada sobrevoo, eles captarão uma faixa de até 290 quilômetros de largura usando câmeras de alta resolução com 13 bandas espectrais. Elas são capazes de captar muito mais cores e comprimentos de onda do que o olho humano, reconhecendo até mesmo a quantidade de clorofila e de água em uma folha.

Assim, os Sentinel-2A e 2B podem fornecer dados importantes para a agricultura e a silvicultura, mas também informações sobre a poluição em rios, lagos e mares.

Os satélites também ajudarão na prevenção de catástrofes. Bombeiros poderão verificar o risco de incêndios florestais ou estimar melhor a capacidade de reservatórios de água. Assim, talvez eles consigam saber, por exemplo se ainda há risco de enchente depois de um evento extremo.

Sentinel-1: radar em órbita
Desde abril de 2014, o primeiro satélite do programa Copernicus, o Sentinel-1A, está em órbita. Ele é o primeiro de dois satélites-radares, que será seguido pelo Sentinel-1B.

Juntos, ambos os satélites do modelo Sentinel-1 devem fornecer imagens de radar detalhadas da superfície terrestre. Essas poderão ser sobrepostas e complementadas pelas imagens óticas dos satélites Sentinel-2, resultando num retrato complexo e abrangente da Terra.

Sentinel-3 a 6: oceano, gelo e atmosfera
Ainda neste ano, deve ser lançado o primeiro dos dois Sentinel-3, que, com diversas ferramentas, será capaz de medir as cores do oceano e da terra, determinar as temperaturas das superfícies e registrar a topografia dos continentes e a situação das regiões cobertas de gelo no Ártico e na Antártica.

Futuramente, os Sentinel-3 devem ser complementados pelos Sentinel-6, também equipados com radioaltímetros, cujo foco será a observação dos oceanos.

Planejados para mais tarde, os Sentinel-4 e 5 contarão com vários instrumentos para analisar a composição atmosférica, ou seja, gases, nuvens e vapores. Esses instrumentos deverão ser colocados em órbita a bordo de satélites meteorológicos comuns.

Aplicação sem limites
O programa Copernicus deve estar em completo funcionamento a partir de meados de 2020. E não há limites para a aplicação dos dados coletados, que serão colocados à disposição de pesquisadores e empresas de todo o mundo.

A partir do cruzamento da enorme quantidade de dados, será possível determinar relações entre diferentes fatores. Um exemplo pode ser o mapeamento da zona de risco de malária, que poderia ser feito a partir da combinação de informações sobre temperatura da superfície terrestre, vegetação, umidade do ar, quantidade de água no solo e densidade populacional.

Além de cientistas, empresas também podem se beneficiar dos dados. Exemplos são as empresas que gostariam de otimizar a rota de navios cargueiros ou companhias aéreas que gostariam de saber mais sobre as correntes de ar. Também construtoras que querem entender melhor movimentos sísmicos antes de erguer pontes ou escavar túneis poderiam contar com os dados coletados pelos satélites Sentinel.

Deutsche Welle
www.dw.com

Microsoft libera Skype Web para usuários de todo o mundo

Microsoft libera Skype Web para usuários do mundoO Skype segue a tendência de concorrentes como os populares Facebook Messenger e o WhatsApp, oferecendo uma versão web para acesso pelo navegador. Para usar, basta apenas um navegador e conexão com a Internet para acessar o link web.skype.com

A versão Skype Web, que não precisa fazer download foi disponibilizada pela Microsoft com suporte para 30 idiomas, inclusive para o português do Brasil. O recurso, que permite conversar usando o navegador e “sem baixar nada” e “sem instalar nada”, está na versão beta e oferece ferramentas de chamadas em voz e vídeo, além de mensagens de texto.

Agora, o recurso está disponível para todos os países, sem precisar esperar convites e com as conversas sincronizadas. A versão Skype Web já havia sido liberada para os internautas brasileiros na última semana, mas com a interface em inglês.

Para alterar o idioma, está disponível um item, no canto inferior esquerdo da tela. Nele, são exibidas as 30 opções de idiomas de suporte, incluindo o português (Brasil).

A boa notícia é também para os usuários do Chromebook e Linux, que agora podem acessar o recurso para enviar e receber mensagens instantâneas.

É possível fazer chamadas de áudio e vídeo, enviar mensagens de texto, emoticons, ativar notificações na tela do computador e mais.

CPqD demonstra soluções de biometria de voz no Ciab Febraban 2015

Biometria de reconhecimento de vozSoluções voltadas para a segurança das transações financeiras e aplicações de autosserviço, que contribuem para a maior eficiência operacional das instituições do setor, estão entre os destaques do estande do CPqD no Ciab FEBRABAN 2015, que acontece nesta semana (entre 16 e 18 de junho), em São Paulo. Diversas demonstrações estão sendo realizadas no estande, com o objetivo de mostrar aplicações práticas de soluções que permitem ao cliente resolver sozinho suas necessidades, de um modo natural, utilizando canais de comunicação de baixo custo (como internet e mobilidade), sem comprometer a segurança das transações.
Uma delas é o Vocal Banking, aplicação em que o cliente realiza transações bancárias por meio de comandos de voz ao seu smartphone. Um atendente virtual fará a interação com o cliente, que será autenticado, em tempo real, por sua biometria de voz – um dos métodos de autenticação oferecidos pelo CPqD Smart Authentication, solução indicada para aplicações críticas e que pode ser usada em múltiplos canais de comunicação (internet, telefone e smartphone).
A segurança das transações não presenciais também estará em destaque no estande, com a apresentação do CPqD Antifraude – solução que, por meio do monitoramento contínuo das transações e do comportamento dos clientes nos diferentes canais, e com a aplicação de regras e modelos analíticos, permite detectar casos suspeitos de fraude. Em uma demonstração realizada no Ciab, a verificação automática desses casos ocorrerá em chamadas automáticas para o cliente, solicitando a confirmação de uma alteração em seu cadastro – uma das principais portas de entrada para a fraude na emissão fraudulenta de cartões, por exemplo.
Outra aplicação das tecnologias de reconhecimento e de síntese de fala do CPqD, demonstrada em seu estande, é a Cobrança Automática. Nesse caso, a ideia é automatizar negociações de débitos em aberto para a recuperação de receitas (mesmo de pequenos valores), com flexibilidade e inteligência. Baseada na plataforma de comunicação automática e multicanal CPqD Conecta, a aplicação permite escolher o melhor canal de contato com o cliente, configurar scripts de acordo com seu perfil e capturar respostas em tempo real, que podem ser enviadas para os sistemas de gestão da instituição.
As demonstrações têm como base as seguintes soluções:
  • CPqD Smart Authentication – utiliza tecnologias de biometria de face e de voz na autenticação de usuários em aplicações críticas – como transações bancárias e de comércio eletrônico. Pode ser usada em múltiplos canais de comunicação (internet, telefone e smartphone).
  • CPqD Antifraude –  sistema de monitoramento e gestão unificada de incidentes de fraude, baseado em modelos e inteligência analítica.
  • CPqD Conecta – plataforma de comunicação automática multicanal que utiliza  tecnologias de reconhecimento de fala, síntese de fala e transcrição de áudio aplicadas ao atendimento, autenticação positiva e cobrança de clientes.
O CPqD é uma instituição independente, com foco na inovação em tecnologias da informação e comunicação (TICs). As soluções do CPqD são utilizadas por empresas e instituições no Brasil e no mercado internacional, em setores como comunicação e multimídia, utilities, financeiro, indústrias, administração pública e defesa e segurança. Atuando há 38 anos, o CPqD conta com mais de 1.300 profissionais altamente capacitados, reconhecidos por sua criatividade e comprometimento com elevados níveis de qualidade. Possui hoje o maior programa de P&D da América Latina na sua área de atuação e tem como objetivo contribuir para a competitividade do País e a inclusão digital da sociedade, levando ao mercado tecnologias de produto, sistemas de missão crítica, serviços tecnológicos e consultorias que beneficiam grandes e pequenas empresas, aumentando a eficiência desses negócios e alavancando o empreendedorismo no Brasil.
www.cpqd.com.br

Kodak Alaris apresenta scanners na Ciab Febraban 2015

Ciab Febraban 2015A Kodak Alaris, empresa líder no Brasil em desenvolvimento de scanners e softwares de captura de documentos de última geração, lançará na Feira Ciab Febraban 2015, três novos modelos de scanners que prometem velocidade de digitalização, maior capacidade na alimentação de folhas e novos recursos de indexação, além de softwares que capturam e gerenciam informações com interface web para aplicação de digitalização distribuida em diversos pontos de entrada.

No mercado há mais de 100 anos, a marca Kodak ficou mundialmente conhecida pelo desenvolvimento de inovadoras máquinas fotográficas e agora une todo o Know How em processamento de imagens para o desenvolvimento de scanners e softwares com soluções voltadas para o mercado corporativo.

Para o setor financeiro, a empresa lançará scanners de rede que são manuseados através de um painel Touch Screen, como a Série Scan Station, que traz as versões SS710 e SS730. O modelo traz como diferencial novas possibilidades de soluções customizadas para embarcar dentro do scanner e pode ser utilizado em processos de abertura de contas em bancos, análise de credito e outros processos de negócio através do conceito “auto atendimento” ou “Kiosk”.

Entre os Scanners com maior saída da empresa, está a Série i2000, que também terá nova versão lançada no evento. São as versões i2420, 2620 e i2820, que garantem uma maior velocidade na digitalização e maior capacidade na alimentação de papéis, ideal para digitalização de documentos de back office de uma agencia, linhas de crédito em redes varejistas e seguradoras, que precisam da máxima agilidade para não perder clientes.

Como o mercado exige também cuidado com a estrutura física do papel, a Kodak Alaris desenvolveu um scanner de alta produção que garante a integridade dos documentos que foram colocados no processo de digitalização “grampeados” com o modelo i5850 da Série i5000. A nova versão traz o recurso “Inteligent Protection” que executa a digitalização com recurso de cuidado reforçado e chega a digitalizar 210 folhas por minuto. A solução foi criada para o mercado de alta captura de imagens, como birô de serviços de digitalização, centros de processamento e correções de provas e concursos.

Já para a oferta de softwares, a empresa desenvolveu o INFO INPUT, um aplicativo de captura de documentos baseado em navegadores de dados. O diferencial está no fato de ser uma plataforma totalmente Web. A solução possui dois modelos: transacional que habilita componentes de captura dentro da interface atual do negócio da empresa e o modelo “batch” que fornece ferramentas de captura focada em grandes volumes de documentos. Além disto, a solução é compatível com todos os navegadores existente e suporta qualquer sistema operacional. Foi criada para facilitar trâmites como abertura de contas em bancos, solicitação de créditos no setor de varejo, seguradoras e outras companhias que precisam de rapidez na análise de dados e, assim, autorizar ou não processos.

Além do INFO INPUT, há também o software KAMS, criado para o monitoramento de scanners instalados (ativos) por toda a empresa. A solução é direcionada para ambientes de captura distribuída com mais de 10 equipamentos na mesma empresa, independente do local, ou seja, pode fazer o controle dos scanners em filiais distintas. A plataforma possibilita uma visão panorâmica, informando todos os datos de utilização dos scanners, consumíveis, e possíveis erros que podem comprometer a operação. “Nossa expertise na área de captura de imagens permitiu o desenvolvimento de uma solução preventiva para operações financeiras que não podem, de forma alguma, se deparar com falhas no manuseio da informação. O KAMS permite uma visão abrangente do funcionamento de todos os scanners”, enfatiza Rheder Silva, Gerente de Produto & Software América Latina da Kodak Alaris.

Com tantas novidades, a empresa participa pela 11ª vez da Feira Ciab Febraban 2015 e apresentará no evento as novas versões dos scanners e softwares, desenvolvidos com as tecnologias mais revolucionárias do mercado. “A Kodak Alaris vive o melhor momento mercadológico da empresa e está focada no desenvolvido de softwares e scanners diferenciados, atrelados à tecnologia de ponta. Nossos projetos são criados de acordo com as necessidades do mercado corporativo e, assim, buscamos auxiliar nossos clientes com ofertas funcionais que realmente sejam agregadoras no processo operacional do setor financeiro”, ressalta Vanilda Brambila Grando, Regional Business Manager da América Latina.

Portal Nacional de Seguros

Gartner aponta 10 tendências tecnológicas mais importantes para o governo

Conferência Gartner Business Intelligence, Analytics & Information ManagementO Gartner Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento sobre tecnologia, anuncia que os novos modelos de serviços para o Governo digital devem estar no topo da lista das prioridades de organizações que priorizam investimentos em tecnologia. Essas e outras informações serão apresentadas durante a Conferência Gartner Business Intelligence, Analytics & Information Management, que acontecerá nos dias 23 e 24 de junho (terça e quarta-feira), no Sheraton São Paulo WTC Hotel.

As 10 tendências tecnológicas mais importantes para o governo em 2015 foram identificadas pelo Gartner com o objetivo de ajudar CIOs e líderes de TI a avaliar tecnologias estratégicas fundamentais para planejar os caminhos de TI de suas empresas.

“CIOs do setor público podem obter suporte para inovação digital de administradores ao explicar essa demanda em termos de prioridade comercial. Além disso, eles devem apresentar exemplos relevantes do que a indústria de atendimento ao cliente ou outras agências governamentais com capacidades digitais fizeram, como o fizeram e quais foram seus resultados”, afirma Rick Howard, Diretor de Pesquisas do Gartner.

  1. Ambiente de trabalho digital. A força de trabalho governamental do futuro será permeada de funcionários digitalmente qualificados, dos trabalhadores da linha de frente aos executivos superiores. CIOs devem ter um papel de liderança ao construir um ambiente de trabalho mais social, móvel, acessível e conduzido por informações.
  2. Relações com o cidadão em múltiplos canais. Jurisdições governamentais com canais múltiplos (escritórios municipais, correspondência de correio físico, centros de contato, sites governamentais e aplicativos móveis) estão se esforçando para fornecer aos cidadãos uma visão única sobre a organização.
  3. Abrir quaisquer dados. O número e variedade de conjuntos de dados e APIs de web abertos ao público disponibilizados por todos os níveis governamentais no mundo continua a crescer. O Gartner prevê que até 2018 mais de 30% dos projetos digitais de governo tratarão quaisquer dados como abertos.
  4. e-ID de cidadão. A identificação eletrônica do cidadão (e-ID) refere-se a um conjunto orquestrado de processos e tecnologias gerenciados por governos para fornecer um domínio confiável em relação a como os serviços públicos serão acessados por cidadãos em qualquer dispositivo ou por qualquer canal de internet.
  5. Controle de acesso. Este controle está evoluindo rapidamente de uma função comercial separada e distinta para um aspecto fluido da operação do sistema e da experiência do usuário. As capacidades de controle de acesso são particularmente relevantes para líderes de programas governamentais que projetam novos serviços móveis.
  6. Interoperabilidade escalável. As agências governamentais estão começando a depender cada vez mais da troca de dados com parceiros externos para otimizar suas redes de entrega de serviço e funções comerciais, como colaboração entre empresas e coordenação, monitoramento e relatório de resultado de serviços.
  7. Plataformas digitais. Uma plataforma governamental digital incorpora padrões de design de arquitetura orientados para o fornecimento e o uso de serviços empresariais em diversos domínios, sistemas e processos.
  8. Internet das Coisas. A Internet das Coisas (IoT) é uma rede de objetos físicos (fixos ou móveis) que contém tecnologia embutida para comunicar, monitorar, identificar ou interagir com múltiplos ambientes. Para o governo, a IoT permite a transformação digital de estratégias do serviço.
  9. TI em escala web. TI em escala Web é um padrão de arquitetura orientado para sistemas de computação de classe global que fornecem as capacidades de fornecedores de grandes serviços de Nuvem para uma organização de TI empresarial. Para o governo, a transição para TI em escala Web é uma tendência de longo prazo com implicações culturais e tecnológicas significativas sobre o processo de TI.
  10. Nuvem híbrida. A TI híbrida oferece aos CIOs governamentais um novo modelo de operação que fornece suporte à capacidade de seus departamentos de TI para combinar e gerenciar a infraestrutura local ou a Nuvem privada interna com ambientes baseados em Nuvem externos simultaneamente. No governo, um modelo de TI híbrido exige competências muito distintas para dar suporte a diversas implantações de Nuvem públicas.

 

A Conferência Gartner Business Intelligence, Analytics & Information Management oferece para as empresas um direcionamento estratégico associado com a implementação, a estruturação e o aperfeiçoamento de programas de BI – Business Intelligence e de Business Analytics, analisando tendências e práticas de mercado.  Mais informações estão disponíveis no site: gartner.com/br/bi.

Para se inscrever, contate o Gartner pelo e-mail brasil.inscricoes@gartner.com, pelos telefones (11) 5632-3109 e 0800-744-1440, ou pelo site: http://www.gartner.com/br/bi

Quando as pessoas têm o hábito de nos decepcionar, como ter atitude positiva?

Manter atitude positiva mesmo quando todos são negativosVocê já deve ter lido artigos ou livros que dizem para sair de perto de pessoas que têm o hábito de complicar as coisas e de aborrecer. Sim, todos nós sabemos isso de cor e salteado. Mas a realidade é, há algumas circunstâncias na vida, em que é mais fácil falar do que realmente se manter longe dessas pessoas. Por exemplo, pode ser seu pai ou mãe, um irmão, um cônjuge, ou um ex com quem você compartilha a guarda de filhos. O que você pode fazer nestas circunstâncias para ter atitude positiva?

Eu sei que às vezes isso pode ser feito por cortar os laços ou se afastar e não responder a contato. Não é uma decisão boa ou má, mas à vezes é a maneira que se tem para manter limites saudáveis. Mesmo assim, temos que considerar como nossa decisão afetará outras pessoas, que nos amam e que amamos, e que acabarão também sofrendo as consequências. Continue reading ‘Quando as pessoas têm o hábito de nos decepcionar, como ter atitude positiva?’ »

Cisco Security Everywhere integrado em toda a rede estendida

Com o Security Everywhere, a Cisco oferece proteção escalável contra ameaças, cobrindo a maior variedade de vetores de ataque continuamente - ou seja, antes, durante e depois de um ataque.A Cisco anuncia uma série de lançamentos que visam a integração da segurança em toda a rede estendida – do data center a dispositivos, filiais e a nuvem – proporcionando visibilidade e controle de ameaças difusas. Com a segurança integrada em todos os lugares – Security Everywhere –, tanto empresas como provedores de serviços estarão capacitados para entregar recursos de segurança demandados pelo cenário atual de ameaças e para captar oportunidades de negócios advindas do crescimento da economia digital e da Internet de Todas as Coisas (Internet of Everything – IoE).

Espera-se que o mercado da IoE gere US$ 19 trilhões para as empresas na próxima década, o que representa US$ 1,7 trilhão em oportunidades para provedores de serviços (Cisco Consulting Services, 2013). Além disso, de acordo com o Cisco VNI Forecast 2015, o número de dispositivos conectados passará de 14 bilhões em 2014, para 24 bilhões em 2019. Continue reading ‘Cisco Security Everywhere integrado em toda a rede estendida’ »

O que muda com o novo algoritmo de busca do Google

O que muda com o novo algoritmo do GoogleUma das atualizações mais recentes do algoritmo de busca do Google chocou um pouco a comunidade tecnológica, pois esta mudança influenciou diretamente nos resultados que aparecem no topo da página.
Antes, se o usuário pesquisasse por um tema qualquer, páginas que explicassem o que é esse assunto (como a Wikipédia, por exemplo) apareceriam no topo da primeira página. Agora, os primeiros links disponíveis sobre determinado tópico serão, prioritariamente, artigos e ensaios acadêmicos sobre o assunto. Apesar de polêmicas, essas não foram as únicas atualizações dos software do gigante de buscas, que nomeou esse novo sistema como “Panda”.
Segundo Ingrid Teles, fundadora da Agência Creators Content, outro uptade importante, e que está diretamente relacionado aos modos com que se consume informação é o fato que o essa atualização beneficia quem consome informação via smartphone. “É cada vez mais comum que as pessoas utilizem das tecnologias móveis para se informar, e o Panda vai facilitar a vida desses usuários”, comenta.
Ela, que trabalha com Marketing Digital, acredita que um ponto chave para os veículos se manterem em destaque será fazendo o investimento em tecnologia móvel. “Cada vez mais as pessoas se utilizam dos aparelhos portáteis para fazer as mais diversas coisas, seja realizar uma transferência bancária, comprar algo ou falar com alguém. O Google percebeu essa tendência, e foi isso que gerou essa mudança”, explica.
Ingrid finaliza, recomendando que, inicialmente, as empresas procurem profissionais voltados ao marketing, para ajudar nessa transição. “Agora, os formatos e conteúdos devem ser pensados para mobile, para que, assim, as empresas continuem no topo da página de buscas do Google”, conclui.
Ingrid Teles. Agência Creators.
www.creatorscontent.com.br
Arquivado em seo