Smartphone é o presente mais desejado neste Natal

[ad_1]

Uma pesquisa realizada pelo Zoom (www.zoom.com.br), site comparador de preços e produtos, com cerca de 8 mil pessoas revela que, apesar de muitos terem antecipado suas compras de Natal na Black Friday, a maioria das pessoas ainda não comprou todos presentes de Natal que desejavam. Dos entrevistados, 24% conseguiram adiantar todas as compras de fim de ano no dia 28 de novembro, no entanto 37% ainda têm algumas pendências e 39% não fizeram suas compras. O estudo revela ainda que 37% pretendem gastar mais de R$ 1.000 em presentes, sendo que os produtos mais desejados para a data são: smartphones (76%), TVs (48%) e tênis (32%). Sim, o smartphone é o presente mais desejado neste Natal.

A previsão da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) é que o comércio eletrônico fature R$ 4,8 bilhões neste fim de ano e atinja a marca de 15 milhões de pedidos. Os e-consumidores estão mais conscientes sobre as vantagens de utilizar a web como ferramenta para pesquisar informações e preços dos produtos que desejam e, por essa razão, a previsão de vendas do varejo online para a data é otimista e deve superar as expectativas.

“Os consumidores têm a internet como aliada para comparar preços em uma imensa quantidade de lojas com a comodidade de não sair de casa. Dessa forma, poupam tempo e geralmente encontram melhores preços do que em lojas físicas”, explica Thiago Flores, diretor executivo do Zoom. “O importante é checar a credibilidade da loja em que está comprando para não ter problemas e também verificar se o prazo de entrega atende à sua necessidade”, aconselha o executivo.

Para auxiliar as pessoas a fazerem compras pela internet com tranquilidade, o Zoom realiza um rigoroso processo de controle de qualidade para ter apenas lojas confiáveis como parceiros. E para garantir ainda mais comodidade aos consumidores na hora de comprar, dispõe do serviço Zoom Garante, que assegura a entrega do produto comprado nas lojas parceiras ou o dinheiro de volta ao cliente, sempre que este estiver logado no site ao efetuar a compra.

Confira abaixo o resultado completo da pesquisa realizada pelo Zoom:

Você conseguiu antecipar as suas compras de Natal na Black Friday 2014?

Não 39%
Algumas 37%
Sim 24%

Fonte: Zoom – Dezembro 2014

 

Quais produtos você ainda pretende comprar para o Natal para presentear seus amigos e familiares?

Celulares/Smartphones 76%
TVs 48%
Tênis 32%
Notebook 27%
Ar-condicionado 23%
Tablets 23%
Videogame 22%
Geladeiras 14%
Sofá 13%
Câmera Digital 13%
Lavadora de roupas 11%
Fogão 11%
Guarda-roupas 10%

Fonte: Zoom – Dezembro 2014

 

Quanto você pretende gastar em média com seus presentes?

Mais de R$ 1.000 37%
De R$ 500 a R$ 1.000 27%
De R$ 200 a R$ 500 19%
Até R$ 200 17%

Fonte: Zoom – Dezembro 2014

[ad_2]

Sobre o Zoom: O Zoom é um site comparador de preços e produtos que oferece ao cliente o melhor apoio a compra. O site conta com mais de 2,5 milhões ofertas e mais de 300 lojas cadastradas. Para garantir o bom atendimento aos consumidores, o Zoom realiza um rigoroso controle das lojas que são credenciadas e além disso, oferece o serviço gratuito Zoom Garante, que assegura aos clientes o recebimento do produto ou dinheiro de volta. Lançado em novembro de 2011, o Zoom faz parte da holding Mosaico Negócios de Internet. Para mais informações acesse www.zoom.com.br e baixe o aplicativo do Zoom disponível para Android e iOS.

Seal Broadcast & Content chega ao mercado brasileiro

[ad_1]

Consultora e integradora de sistemas para meios de comunicação e entretenimento, a Seal Broadcast & Content é a mais nova empresa do mercado de Broadcast do Brasil. A companhia é integrante do Grupo Seal Telecom, maior integradora de soluções de comunicação unificada, áudio & vídeo e segurança.

Os sistemas de mídia migraram ao longo dos últimos anos de um sistema tradicional de broadcast para o uso de diversos programas que requerem múltiplas versões de componentes, incluindo vídeo, idiomas, sistemas de áudio e legendas. E visto que os clientes estão cada vez mais exigentes, tanto na disponibilidade do conteúdo quanto na maneira de acessá-lo (qualidade da experiência), a companhia aplica uma nova abordagem em relação à arquitetura de sistemas, e como consequência, trabalha com soluções de ponta para proporcionar as melhores experiências tecnológicas aos receptores.

Para a criação de projetos, é adepta a Arquitetura Orientada ao Serviço – SOA – grande aliada à medida que combina valiosos aspectos criativos com processos eficientes. Deste modo, suas soluções são flexíveis, expansíveis, com ótimo custo-benefício e integráveis a tecnologias futuras (escalabilidade).

“A Seal BC atende diversos segmentos na área de produção e distribuição de conteúdos de mídia digital em todo território nacional, como emissoras de TV, órgãos governamentais e produtoras de vídeo. Nosso principal propósito é garantir que estes clientes atinjam seus objetivos de negócios estratégicos com maior agilidade”, Danillo Garcia, Diretor de Vendas da Seal Broadcast and Content*.

Além disso, a empresa possui consultores com experiência nas mais diversas áreas, os quais estão 100% capacitados para auxiliar no desenvolvimento dos projetos do início ao fim, e unem seu conhecimento técnico às mais sofisticadas tecnologias, suportadas pela ampla gama de parceiros reconhecidos mundialmente.

[ad_2]

Danillo Garcia, formado em engenharia com MBA em Business, possui experiência no segmento de Broadcast em fabricantes tradicionais como Sony e Avid Technology. Atualmente é responsável pela criação da divisão Broadcast da Seal Telecom. Compondo uma equipe especializada técnica e comercialmente, com o objetivo de criar um novo modelo de integração de sistemas para o mercado de Broadcast.

www.sealbc.com.br

Como se comportar no primeiro dia no novo emprego

[ad_1]

Você se empenhou para elaborar um currículo interessante, enviou para diversas empresas de olho nas melhores vagas, se preparou e esperou ansioso pelo dia da entrevista. Depois de passar bravamente por todas essas etapas, você recebe o tão sonhado feedback positivo e comemora com a família e os amigos. Enfim conquistou o tão sonhado emprego novo!

Finalmente o primeiro dia de trabalho chega e enquanto se prepara, você sente uma mistura de sentimentos. Hora se sente feliz e cheio de expectativas, certo de que vai impressionar e causar uma ótima impressão aos futuros colegas de trabalho e, no instante seguinte, a ansiedade e a insegurança tomam conta dos seus pensamentos.

Esse cenário já fez parte da vida da maioria das pessoas e é justificável, afinal, o primeiro dia no novo emprego é o momento em que esse novo membro será observado nos mínimos detalhes. Aparência, comportamento, conhecimento e habilidades… Nada escapa aos olhos atentos dos membros mais antigos da equipe e também do chefe!

O primeiro dia de trabalho exige cautela. Afinal, é o momento em que se estabelecem, ainda que sutilmente, novas relações que serão importantíssimas para um dia a dia mais tranquilo e produtivo. Se sentir um peixe fora d’água e cometer gafes são situações que podem deixar você em uma posição bem desconfortável. Então, confira as dicas abaixo para conquistar o seu espaço num novo emprego:

[ad_2]
  • O primeiro dia – A chegada deve ser discreta e, essa discrição se aplica tanto para a forma de se vestir quanto para a postura e os diálogos. Lembre-se que você é novo no pedaço e que seus gestos, roupas e palavras serão cuidadosamente observados e comentados. Lógico que você terá oportunidade para mostrar aspectos mais relevantes da sua personalidade, mas no primeiro momento vale o que fica mais à vista, ou seja, aparência e comportamento.
  • Esqueça o passado – Por mais brilhante ou desastroso que tenha sido, ninguém está interessado nas perdas ou conquistas do seu antigo emprego. Falar mal do da empresa ou de ex-colegas de trabalho então, nem pensar! O que passou, passou. Dedique-se a mostrar que tem planos e projetos para essa nova oportunidade.
  • Dê um chega pra lá na timidez – Em alguns casos, a timidez não chega a ser um problema, mas em casos extremos pode comprometer e muito sua imagem nesse primeiro momento. Pessoas muito tímidas costumam se desesperar por pequenas coisas, como o momento de aproximação, por exemplo. Procure se apresentar com confiança para os novos colegas e mantenha a calma. As coisas fluirão naturalmente.
  • Cuidado ao emitir opinião sobre assuntos polêmicos – Isso tanto no que se refere à política da empresa, quanto ao time do coração, preferência musical, religião, etc. Todo cuidado é pouco ao emitir opinião sobre assuntos polêmicos. Especialmente se você está em um cargo de chefia, onde suas opiniões têm um peso maior. Caso peçam sua opinião, diga o que pensa sem se exaltar e jamais tente convencer seus interlocutores de que sua opinião deve ser adotada por todos. Equilíbrio é a palavra de ordem nesse momento.
  • Fuja de fofocas – Mesmo que o assunto em pauta desperte sua curiosidade, se tratar-se de fofoca não comente, não pergunte nada nem emita juízo. Você está começando agora e não sabe ainda quem é quem na empresa e menos ainda onde está pisando! Essa regra vale pra quem está começando e também pra quem já está há muito tempo na empresa.
  • Seja humilde – Independente do cargo que irá ocupar, seja simpático com todos. Crie um ambiente harmonioso e colaborativo, dessa forma poderá contar com a boa vontade dos seus colegas quando precisar.
  • Cuidado com a linguagem verbal e corporal – Controle as gírias, palavrões e o excesso de gestos. Evite conversas desnecessárias e intimidade em demasia. Nada de piadinhas e tapinhas nas costas.
  • Observe os hábitos – Nada de trazer seus objetos pessoais para decorar sua mesa/sala nos primeiros dias. Observe as mesas dos colegas e superiores para ter uma referência do que colocar na sua. Lembra da frase: “Dançar conforme a música”? Ela cabe bem nesse tipo de situação!
  • Siga essas regras, haja com bom senso e muito boa sorte nessa nova fase!

Alessandra Vieira Martins é gestora de recursos humanos e gerente comercial na Perfil Humano RH, empresa especializada em recrutamento e seleção.
www.perfilhumanorh.com.br

5 erros de empresas nas redes sociais em 2014

[ad_1]

Além de interagir com a família e os amigos, as pessoas estão usando as redes sociais também para entrar em contato com empresas e se relacionar com suas marcas. Inicialmente apenas as grandes empresas notaram a importância da participação e atuação nesse meio, mas cada vez mais também empresas de pequeno e médio porte também seguiram esses passos.

Segundo Alessandro Lima, CEO da E.life, uma interação de qualidade e efetiva pode gerar uma reputação positiva para a marca e um resultado mais eficaz até do que uma campanha publicitária, dependendo do tamanho da repercussão. “Já o contrário, ou seja, uma interação inexistente ou inadequada com o consumidor, pode causar ruídos desnecessários sobre a marca e até grandes estragos na imagem”.

Veja abaixo os top 5 erros de empresas nas redes sociais em 2014, de acordo com o especialista.

  1. Criar diversas páginas para a mesma marca: este erro acontece bastante com franquias. Como muitos franqueados cuidam do seu próprio marketing, muitas vezes o franqueador não consegue alinhar uma presença única para a marca em redes sociais. O resultado é a multiplicação de perfis de uma mesma marca em redes como o Twitter e Facebook, criando confusão para o cliente.
  2. Confundir página e perfil no Facebook: Muitas marcas ao tentarem criar uma página acabam criando um perfil. O erro gera uma situação engraçada no Facebook: consumidor e marca se tornando amigos.
  3. Não monitorar os grupos do Facebook: os grupos do Facebook se tornam cada vez mais populares. Hoje há grupos sobre vários temas com milhares de consumidores discutindo todo tipo de tópico ativamente. Com os murais públicos cada vez mais fechados (reflexo da mudança das políticas de privacidade do Facebook em 2014) monitorar os grupos amplia a visão earned da marca.
  4. Achar que o Twitter perdeu relevância: Recentemente o Instagram divulgou um número maior de usuários do que o Twitter no mundo. Em 2014 muitas empresas deixaram de apostar em ações no Twitter por acharem que a rede perdeu relevância. Erraram feio. A rede nunca gerou tanto buzz como em 2014, quando a Copa do Mundo e outros eventos que aproveitaram o real-time do Twitter, engajaram milhões de pessoas no Brasil e no mundo. Em 2015 novas parcerias com canais de TV e conteúdo prometem impulsionar ainda mais o alcance do Twitter.
  5. Deixar de considerar em ações de marketing novas redes: Um levantamento rápido feito pela E.life em 2014 mostrou que o Snapchat, junto ao Instagram, foi uma das redes sociais que mais cresceram em utilização no Brasil em 2013. Com cem milhões de usuários no mundo e valoração de US$ 10 bilhões, o Snapchat já foi utilizado no Brasil pela TIM e Forever21, e fora do Brasil por TacoBell e HBO. Em tempo gasto, o app do Snapchat foi mais utilizado do que o Twitter pelos jovens americanos de 18-24 anos, segundo a ComScore.
[ad_1]

E.life Group. Pioneiro em inteligência de mercado e relacionamento na Web 2.0, o grupo E.life é líder em análise de mídia gerada pelo consumidor e interações em redes sociais, oferecendo serviços e ferramentas de software.
www.elife.com.br

As qualidades do líder

[ad_1]

Há inúmeros exemplos de líderes empresariais. A mídia evidencia alguns modelos. Dentre esses, há tipos que se notabilizam pela extravagância e excentricidade. Parece paradoxal que, quanto mais excêntricos, mais atraem um público fiel – que os segue em redes sociais, acompanha seus programas e copia seus exemplos – composto, curiosamente, por muitas pessoas que têm suas vidas profissionais transformadas num inferno por chefes que têm exatamente o mesmo perfil desses personagens que tanto admiram.

Na vida real, esse tipo de líder é bastante comum. Em grandes corporações, a conquista de resultados no curto prazo acoberta qualquer desmando daqueles que chefiam equipes. Há um ano, a revista americana The Week publicou um estudo sobre as profissões que mais atraíam psicopatas. A posição de CEO liderava o ranking. Nota-se que esse perfil é bastante aceito pelas corporações. Dá-se espaço, assim, a toda sorte de abuso.

No Brasil, ocorre o mesmo. Um levantamento realizado pela HSD Consultoria em RH com base em mais de 5 mil entrevistas com executivos de grandes corporações identificou desvios de caráter em 20% dos pesquisados. Segundo a empresa, esse perfil remete à realização de fraudes, desvios de valores, de mercadorias e, principalmente, a toda a sorte de abusos sobre liderados.

Profissionais com esse perfil acabam por conquistar um único tipo de liderado: o assecla, que o aplaude e o auxilia, muitas vezes, em tarefas pouco (ou nada) nobres. E, mesmo esse tipo de liderado, que pouco agrega à corporação, segue não o líder, mas seu poder que, como tudo, é efêmero. Os demais apenas toleram essa liderança, a fim de se manterem empregados. Tornam-se cumpridores de tarefas que admitem se submeter a essa autoridade e a tudo que a ela remeta apenas durante o expediente.

Desses – e não se pode culpá-los – não se pode esperar nenhum engajamento, ousadia, criatividade ou mesmo busca pelo aprimoramento profissional que beneficie a empresa ou a equipe. O que querem é sair o quanto antes do trabalho – seja naquele dia ou pelo resto de suas vidas – e levar o pensamento para longe da opressão. A empresa perde profissionais e, quando não, suas ideias e motivações. Algumas passam a ser evitadas por bons profissionais. O mau líder compromete não só as equipes que compõem a corporação, mas a que poderão integrá-la futuramente.

[ad_2]

Não se fala aqui em “passar a mão na cabeça” de incompetentes. Sabe quem recruta e comanda equipes o quanto é difícil hoje obter mão de obra qualificada. Há inúmeros problemas sistêmicos no país que contribuíram para esse quadro. Mas há que se conquistar a motivação do liderado, tanto para o exercício da função quanto para que ele busque se aperfeiçoar. E esse papel cabe ao líder.

O líder cobra e, dessa forma, busca o melhor de cada profissional. O que é, então, o líder ideal? A literatura sobre administração possui definições de profissionais, que, se forem mais raras, são as que mais marcam os bons profissionais. Warren Wilhelm aponta como características dos líderes eficazes a compreensão da inteligência de seus liderados, níveis elevados de energia pessoal, capacidade e vontade de crescer constantemente, visão, curiosidade contagiosa, boa memória e – diferente do exemplo anterior – capacidade de fazer com que os seguidores sintam-se bem consigo mesmos. (Wilhelm,1996, p. 224).

Há, particularmente em cadernos de jornais e publicações voltados ao RH, séries de características que formariam um líder. Há coisas interessantes a serem consideradas, mas, a grande maioria traz a pura redundância de séculos e o óbvio ululante. Um ótimo exemplo de lugar comum é citar, entre essas características, a honestidade e a clareza de valores. Isso não seria pertinente a qualquer tipo de pessoa?

A grande virtude do líder é conhecer seus limites, seus defeitos e suas fraquezas. É saber que erra e que é impossível ser bom em tudo e, quanto maior o conhecimento que se tem sobre si mesmo e suas limitações, mais apto à liderança e mais capaz de fazer sua equipe render o máximo ele é.

Há pessoas super capacitadas, excelentes profissionais, exímios especialistas, com vontade de crescer e que, ao serem promovidos, tornam-se arrogantes, prepotentes, por acharem que estão acima do bem e do mal e que são infalíveis. Neste momento voltamos ao lugar comum: perde-se um ótimo profissional e ganha-se um péssimo líder.

(*) Hovani Argeri atua há mais de 20 como gestor comercial em multinacionais. É mestrando em Administração de Empresas na FECAP, possui MBA em marketing com ênfase em gestão de vendas pela FGV, e advogado com especialização em Direito Constitucional.

Ano novo emprego novo: Como se sair bem na entrevista de emprego no ano novo

[ad_1]

O ano novo traz consigo muitas mudanças, novos desafios – e novas vagas de emprego. Com isso, uma das mudanças que pode ser observada logo no início do ano diz respeito ao trabalho, que muitas vezes é acompanhado de uma promoção ou até mesmo da oportunidade de ser empregado por uma empresa que você sempre quis trabalhar, mas que nunca esteve disponível – até agora. Essa também é uma ótima época para pessoas que estão fora do mercado e desejam voltar a trabalhar, porém, para passar por cima desses novos desafios e conquistar uma vaga muitas vezes é preciso enfrentar algo que vários profissionais ainda temem: a entrevista de emprego no ano novo.

Para enfrentar esse obstáculo de forma segura e alcançar os objetivos pretendidos, algumas orientações podem ser seguidas a fim de causar uma boa impressão na entrevista de emprego – e, com isso, estar mais perto de conquistar a vaga. Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, comenta que, independente da empresa a qual será feita a entrevista, existem atitudes “genéricas” que devem ser sempre tomadas. “É claro que os locais de trabalho mudam. Há empresas que é preciso ir vestido de forma mais formal, já outros locais permitem uma maior liberdade de vestimenta – porém, independente disso, há peças de roupa que devem ser deixadas de lado. Para mulheres, aquelas que são muito curtas, justas, e que têm decote são uma má opção, assim como para os homens, o ideal é estar com a barba bem feita e, para ambos os sexos, nem pensar em usar roupas sujas ou mal passadas”, diz ela, que completa “aparência não é tudo, mas é seu cartão de visitas e responsável por causar a primeira impressão – ou seja, é extremamente importante”.

Mas além da aparência, existem muitos outros aspectos que serão avaliados durante a entrevista, – e é preciso que o profissional saiba como se comportar frente a tudo isso. “Um erro comum é o entrevistado estar muito ansioso para convencer o recrutador de que ele é a pessoa ideal para aquele cargo, e, nesses casos, pode acabar pecando pelo excesso. O ideal é que haja o equilíbrio: o profissional tem que mostrar-se interessado, pró-ativo e com atitude, porém, não deve falar demais – essa é uma atitude extremamente condenada. Ser claro e objetivo é a dica que dou para as pessoas”, explica Madalena.

Ainda sobre esse aspecto, outros erros comuns acontecem quando o profissional se supervaloriza a fim de tentar impressionar o recrutador ou responde perguntas que não foram feitas, tornando-se chato e prolixo.  “Por exemplo: ser criativo é algo que conta muitos pontos. Porém, apenas dizer que é criativo, não. Nesse caso, é melhor não dizer nada – se você realmente for criativo, o seu portfólio vai deixar isso claro, sem precisar de reafirmação. No caso das perguntas, caso não entenda o que foi questionado pelo recrutador, seja honesto e peça para que ele repita o que foi dito. Divagar sobre algo que não foi questionado é uma falha que não deve ser cometida – e é fácil de ser evitada. Só responda o que for perguntado – e faça isso de forma enxuta e clara. Entrevistadores não suportam profissionais que falam demais durante a entrevista – ainda mais se for algo que não foi anteriormente questionada”, exalta a especialista.

Outro ponto extremamente importante é o horário: ninguém gosta de contar com pessoas que não são pontuais. “O atraso desqualifica qualquer profissional, portanto, para evitar que haja problemas dessa natureza no dia da entrevista, programe-se com antecedência, – e, se for preciso, chegue antes do horário”, ressalta Madalena.

Uma dica que a especialista oferece é: pesquise sobre a empresa antes de realizar a entrevista. Conheça a cultura do local, saiba qual a roupa adequada para o processo, a postura e a linguagem que devem ser utilizadas durante a avaliação, etc. “Essas são dicas básicas para quem irá passar por uma entrevista. O mais importante de tudo é falar sempre a verdade, isso transmite maior segurança e credibilidade para o entrevistador, características extremamente importantes na hora de contratar um novo profissional”, conclui a coach.

[ad_2]

Madalena Feliciano: É Diretora de Projetos da Outliers Careers e Presidente do Instituto Profissional de Coaching. Há 18 anos ela assessora profissionais em transição de carreira, utilizando das mais modernas técnicas e ferramentas de Liderança e Coaching.

madalena@outlierscareers.com.br
www.outlierscareers.com.br