Introdução à Recuperação de Dados

A maioria das pequenas e médias empresas não tem um plano de continuidade de negócios ou recuperação de dados. Elas simplesmente reagem aos incidentes e essa atitude pode levar a prejuízos que, por vezes, ameaçam a sobrevivência do negócio.

Incêndio no CPD

No começo deste mês ocorreu um incêndio no prédio da administração de uma empresa, onde estavam os servidores e as centrais de cabeamento e telefonia da empresa.

Boa parte das fitas de backup e dos computadores foram completamente consumidas pelo fogo. A outra parte foi destruida pelos esforços dos bombeiros ao lançar jatos de água para controlar as chamas.

Fui convidado a auxiliar na reestruturação dos serviços, uma vez que as áreas de vendas e produção não haviam sido atingidas e precisavam voltar à atividade o mais rápido possível.

Recuperação de Dados

Assim começa o trabalho de recuperação de desastres. Esse trabalho é mais ou menos traumático dependendo das medidas preventivas tomadas pelo administrador do sistema. Quanto mais precavido for o administrador de sistema, menor será o impacto de uma eventualidade sobre a operação da empresa.

Os especialistas de recuperação de dados restauram dados perdidos nas seguintes situações: incêndio, inundação, descargas atmosféricas, falha ou sobrecarga elétrica e as mais variadas agressões aos computadores.

Além de todos essas agressões físicas, há também os hackers e vírus que podem tirar o sistema do ar.

As ações para tolerância a desastres envolvem medidas como backups remotos, cofres e salas anti-chamas e comportas anti-inundação, redundância de servidores, UPS inteligente e redundância de cabeamento.

Sugerimos as seguintes medidas práticas para reduzir os riscos de paradas de operações ou perdas de informações vitais por problemas com discos rígidos que também podem ajudar caso você precise recuperar dados de discos rígidos danificados:

1. Faça cópias de segurança, e guarde seus dados de segurança em um local externo

Isso é bem prático para empresas com duas ou mais instalações, usando-se a rede privada para copiar os dados do local A para B e do local B para A. Caso isso não seja possível, guarde a mídia de seus backups fitas em outro prédio. Mesmo que um dos locais sofra um desastre você pode recuperar seus dados das cópias remotas.

2. Proteja sua instalação elétrica, com um sistema de aterramento, pára-raios e supressão de fagulhas

Muitos prédios possuem instalações elétricas que não foram projetadas com computadores em mente.

São necessárias as seguintes medidas:
+ Todos os circuitos elétricos devem ser aterrados. Você deve medir a impedância do seu aterramento periodicamente, especialmente durante o período de clima mais seco;
+ Faça o balanceamento de carga dos circuitos. Dê atenção especial à polaridade das tomadas elétricas FNT;
+ Interligue todos os terras da instalação. Caso sua rede atenda a mais de um prédio ou circuito elétrico, todos devem estar ligados a um único referencial de aterramento eletrônico. Caso você tenha diferentes referenciais de terra você terá uma diferença de potencial e poderá gerar ruídos na rede lógica ou queimar equipamentos;
+ Seu sistema de proteção elétrica deve contemplar um pára-raio com um número adequado de dissipadores.

3. Instale uma UPS

A súbita falta de energia é uma das principais causas de perda de dados. Operações efetuadas parcialmente, referências incompletas e transações inconsistentes são algumas das consequências de um shut down não programado.

Algumas vezes ocorrem erros lógicos no sistema de arquivos que não são prontamente percebidos pelo usuário. Continuar gravando dados em um disco nessas condições irá aumentar os estragos, podem levar a um situação sem retorno, mesmo para especialistas. Com uma UPS você poderá fazer um shut down controlado do sistema, dando tempo para gravar todos os dados temporários.

4. Use corretamente o ScanDisk

O Norton Disk Doctor são úteis por consertar pequenos problemas, mas se usado para um problema sério, eles diminuem a probabilidade de que um especialista de recuperação possa recuperar seus dados. Esses utilitários às vezes interpretam as áreas incorretamente, então, usa o que ele pensa ser espaço livre para operações que podem acabar escrevendo sobre dados reais e movendo lixo sobre áreas ocupadas. Isso resulta em uma grande
bagunça.”

Para determinar se você deve deixar o Scandisk corrigir seu disco rígido, ou não, é o número de
erros lógicos. Para ver esse número, vá ao prompt do MS DOS e execute o Chkdsk. Se você tiver menos de 10 erros, você pode corrigi-los com o Scandisk. Caso existam 100 ou mais erros, seu disco está muito danificado e precisa de suporte técnico. Caso haja 1000 erros ou mais, desligue imediatamente o disco rígido e contate uma empresa de recuperação de dados.

5. Arquivos grandes correm mais risco de corrupção que arquivos pequenos

Se possível, separe seu trabalho em arquivos pequenos. Em vez de construir uma única pasta de trabalho do Excel com dezenas de planilhas, crie várias pastas de trabalho. Grandes arquivos demandam mais tempo para atualizar e podem envolver muitos blocos do disco rígido, aumentando os riscos de erros lógicos.

A recuperação de arquivo pode não ser garantida, mas se condições forem certas, muito pode ser feito. Mesmo discos dígidos formatados podem ser parcialmente recuperados. Os arquivos apagados continuam ocupando áreas do disco e podem ser recuperados.

Se você precisa de um especialista de recuperação de dados, você de procurar uma companhia com experiência, peça referências, conheça seus procedimentos com antecedência, e procure um com a política “sem dados, sem custo”. Algumas empresas cobram uma taxa pela análise do seu disco, prefira uma empresa que não cobra pelo diagnóstico, assim você saberá que eles farão o melhor pelos seus dados.

Os dados do cliente foram recuperados por uma empresa especializada e em três dias os sistemas estavam novamente operacionais.

Nunca se esqueça de fazer seu backup.

 

Autor: Marco Aurélio de Lima (maurelio@malima.com.br, http://www.malima.com.br)